Análise do perfil de consumo será fundamental para adotar tarifa branca, afirma especialista

| Imagem: Unsplash

A partir do primeiro dia de 2018 os consumidores de baixa tensão terão a oportunidade de migrar para a tarifa branca, que possibilitará reduzir o valor da conta com a adoção de hábitos que priorizem o uso da energia no período mais barato. Segundo a norma, aprovada pela Aneel no ano passado, a adesão é voluntária e será feita de forma gradual.

O consumidor, porém, antes de adotar a tarifa branca, deve tomar alguns cuidados. “O consumidor precisa fazer uma análise do perfil de consumo da casa dele. A primeira medida é verificar com a distribuidora quais serão as faixas do horário de pico e horário intermediário”, analisa Juliana Rios, gerente da CAS Tecnologia e especialista em tarifa branca. “Se o período de maior consumo for dentro da faixa de pico ou intermediário ele precisa analisar se consegue deslocar esse horário de maior consumo para avaliar se vale aderir a tarifa branca”, completa.

Com as novas regras, nos dias úteis o preço da energia será dividido em três postos horários: ponta, intermediário e fora de ponta. O horário de ponta, com a energia mais cara, terá duração de três horas, geralmente na parte da noite. A taxa intermediária será uma hora antes e uma hora depois do horário de ponta. Nos feriados nacionais e nos fins de semana, o valor é sempre fora de ponta. As faixas de horários variam de acordo com a distribuidora que atende a região.

Se o cliente optar pela tarifa branca, a distribuidora precisará trocar o medidor da instalação dessa unidade consumidora, sem custos para o cliente. De acordo com Juliana Rios, com esse medidor, o consumidor vai saber onde está consumindo mais, podendo assim fazer a gestão da própria carga.

“É importante destacar que esse novo medidor está vindo com novas tecnologias. A concessionária, por exemplo, pode ter no medidor um módulo que trará as informações de consumo com uma frequência diária. Essa tecnologia vai dar ao consumidor final mais informações sobre o próprio consumo”, comenta Juliana Rios.

De acordo com a resolução aprovada pela Aneel, se o cliente optar por aderir a tarifa branca ele poderá, depois de 30 dias, voltar para a tarifa convencional. O cliente com isso pode experimentar a tarifa branca e, se não se adaptar, pode retornar para a tarifa convencional. Se o cliente, porém, já tiver saído da tarifa branca e quiser retornar, o prazo, então, será maior, e ele terá que esperar 180 dias para ingressar na tarifa branca novamente.

 

Divulgação

Segundo a Aneel, o órgão está, atualmente, trabalhando na campanha de consumo consciente de energia elétrica e, após essa campanha, promoverá ações de comunicação para divulgar a tarifa branca, o que deve ocorrer entre o final de novembro e o mês de dezembro. A agência já fez algumas divulgações sobre o tema em redes sociais e mantém uma página com informações sobre o tema.

 

 

Associe-se e conheça a Área do Associado, um espaço aonde você tem acesso a estudos, apresentações, documentos dos principais órgãos do SEB e mais! Não perca tempo e entre em contato!

 

Fonte: Brasil Energia.