CCEE indica queda de 0,8% no consumo em agosto

| Imagem: Unsplash

O consumo de energia entre 1º e 29/8 apresentou retração de 0,8% no consumo, frente ao mesmo período registrado no ano passado, ao somar no período 58.493 MW médios contra 58.994 MW médios de agosto de 2016, segundo dados preliminares da CCEE. As informações constam na mais recente edição do boletim InfoMercado Semanal Dinâmico. O mercado regulado teve queda de 5%, ao atingir 40.836 MW médios ante 42.992 MW médios na mesma base de comparação, impactado pela migração de consumidores para o mercado livre.

Haveria ainda crescimento de 0,4%, caso esse movimento fosse desconsiderado. No mercado livre, o consumo atingiu 17.657 MW médios, representando um aumento de 10,3% quando comparado com o mesmo período do ano passado, quando foi registrado 16.002 MW médios, número que também inclui na análise os novos consumidores vindos do mercado cativo. Excluindo esse movimento de migração, o ambiente teria queda de 3,8% no consumo.

Os maiores índices de retração no período, excluindo a migração, pertencem aos segmentos de minerais não metálicos (-10%), de bebidas (-8,7%) e comércio (-4,2%). Os setores de veículos (+8,4%) e saneamento (+3,9%), por sua vez, registraram incremento no consumo dentro do mesmo cenário de migração.

Geração

A análise indica ainda de forma preliminar que a geração de energia somou 60.742 MW med contra 61.257 MW med, montante de energia 0,8% inferior ao gerado no ano passado, retração impactada pela queda de 14,2% na produção das usinas hidráulicas, incluindo as pequenas centrais hidrelétricas (PCHs). Contudo, a geração cresceu entre as usinas eólicas (+28,5%) e térmicas (+31%) no período. As hidrelétricas integrantes do Mecanismo de Realocação de Energia (MRE) gerem, em agosto, o equivalente a 64,7% de suas garantias físicas, ou 39 mil MW médios em energia elétrica. Para fins de repactuação do risco hidrológico, o percentual foi de 71%.

 

Associe-se e conheça a Área do Associado, um espaço aonde você tem acesso a estudos, apresentações, documentos dos principais órgãos do SEB e mais! Não perca tempo e entre em contato!

 

Fonte: Brasil Energia.