Chuvas no Sudeste e no Sul devem ficar acima da média em junho

| Imagem: Free Stock Unsplash

A revisão do Programa Mensal da Operação mostra que a previsão das médias mensais de junho indica a ocorrência de afluências acima da média histórica para os subsistemas Sudeste e Sul, enquanto que nos subsistemas Nordeste e Norte elas ficarão abaixo da média. De acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico, a Energia Natural afluente no Sudeste/Centro-Oeste em junho deve chegar a 35.746 MW med ou 113% da média de longo termo. No Sul, ela fica em 34.328 MW med, que equivale a 330% da MLT, mostrando o viés da alta nas duas regiões. Já no Nordeste, a ENA prevista deve ser de 1.626 MW med, que equivale a 34% da MLT, enquanto no Norte, de3.961 MW med, que corresponde a 64% da média histórica.

 

Na semana de 10 a 16 de junho, a previsão de ENA para o Sudeste/Centro-Oeste é de 115% da MLT e no Sul, é de 315%. No Nordeste, as chuvas devem alcançar é de 36% da MLT e no Norte, de 65%. Na previsão de carga, o desempenho econômico da região Sudeste ainda influencia o sistema. No Sudeste, ela deve crescer 2% na comparação com o mês de junho de 2016. No Sul, é esperada uma retração de 2,7%, em virtude de temperaturas baixas nessa época no ano passado, o que acabou estimulando o uso de equipamentos elétricos de climatização, levando a aumento da carga.

 

No Nordeste, as chuvas no litoral devem fazer com que a carga tenha um aumento de 1,2%. No Norte, a expectativa é que a carga cresça 7,9% na comparação com o mesmo período de 2016. A região nordeste, com grave crise hidrológica, vai ter recebimento maximizado de energia. A região Sudeste vai ser importadora de energia. A região Sul vai ser exportadora de excedentes energéticos, como a região Norte.

 

Fonte: Canal Energia.