Tudelândia Central Elétrica S/A

 

Especializada em projetos de indústrias e hidrelétricas, a Denge Engenharia e Consultoria – que também fábrica equipamentos para esses segmentos – fez sua primeira aposta no ramo de geração de energia e está perto de inaugurar sua primeira Pequena Central Hidrelétrica, a PCH Tudelândia, no munícipio de Santa Maria Madalena (RJ). Além de contar com um cenário favorável, o incentivo federal à produção de energia limpa, a decisão de ingressar em uma nova frente de negócios é consequência da expertise da empresa, adquirida ao longo de 16 anos de atuação no mercado. “Nossa experiência e nosso conhecimento nos impulsionaram a buscar esse desafio e investir na área”, declara Marco Antonio Dopico, sócio do empreendimento e diretor-presidente da Denge.

 

Energia limpa e desenvolvimento local

Instalada no Rio Santíssimo, Tudelândia vai explorar o potencial hidrelétrico da bacia hidrográfica do Rio Paraíba do Sul. “As PCHs têm vocação para garantir a estabilidade no fornecimento de energia, pois complementam de forma satisfatória a demanda energética regional, até então assegurada por usinas de grande porte, como a de Itaipu, embora distante dos grandes centros consumidores”, observa Angela Cordeiro, engenheira da Denge. De acordo com ela, além de gerar energia sem impactar o meio ambiente a expectativa é de promover o desenvolvimento sócio-econômico da região – mesmo após o início das operações. “Geramos 80 empregos diretos, durante os 18 meses dedicados à construção do empreendimento, e, nesse período, estimulamos também o comércio local por meio da compra de materiais e serviços necessários à obra. A experiência foi muito positiva e esperamos continuar fazendo levantamentos e estudos para investir nesse ramo”, revela.

 

Sintonia fina com a Ampla

Com capacidade para gerar 2,55 MW, o suficiente para abastecer 10 mil residências, PCH Tudelândia contou com a Ampla para a construção de uma rede isolada de 13,8Kv E 883 metros de comprimento, que ligará a usina à linha de transmissão da concessionária, situada na estrada municipal Maria Madalena. “Além de garantir confiabilidade ao escoamento da energia, uma das grandes vantagens desta solução é a possibilidade de otimizar sua produção, exigindo menos paradas de manutenção”, afirma Leonardo Kauffman, Executivo de Atendimento da Ampla. Na opinião de Dopico, a importância desta parceria está na integração do empreendimento à rede elétrica local. “Quando identificamos essa necessidade, procuramos a Ampla para executar o serviço dentro dos padrões da concessionária. Ao estabelecer esse contato direto, garantimos risco zero e, assim, uma perfeita compatibilidade com todo o sistema”, assinala.

 

Após o início das operações, a Ampla será responsável também pela medição da energia produzida por Tudelândia. E caberá à Eletrobrás (Centrais Elétricas Brasileiras S.A.) o papel de agente executora, com a celebração de contratos de compra e venda. “Nosso objetivo é manter um bom relacionamento com a distribuidora, pois temos a intenção de continuar investindo na construção desses empreendimentos no estado do Rio de Janeiro. Parcerias são como casamentos. É fundamental haver confiança, harmonia e agilidade para resolver os problemas, alcançando o que se deseja”, enfatiza Dopico. 

 

Fonte: Revista Ampla.