Confea cria grupo de trabalho com a ABRAPCH para discussão da matriz energética

Paulo Arbex, presidente da ABRAPCH

Nesta semana ocorreu o início dos trabalhos da 3ª Reunião Ordinária do Grupo de Trabalho (GT) Matriz Energética Brasileira para 2050. Reuniram-se a segunda-feira (21) e terça-feira (22),  cinco representantes de associações do setor, cujos debates envolvem energia solar, hidrelétrica e geração e distribuição de energia. Além disso, o grupo recebeu, também o diretor da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), órgão vinculado ao Ministério de Minas e Energia, para debater o "Plano Energético Brasil - 2050".

 

Participam da reunião o conselheiro federal Marcus Vinícius Fusaro, que coordena o Grupo, Ana Constantina Sarmento e Edson Navarro (membros-especialistas do GT) e os assessores do Confea João de Oliva e Paulo Prado. Também integram o grupo o conselheiro federal Carlos Batista das Neves, o coordenador nacional da Coordenadoria de Câmaras Especializadas de Engenharia Elétrica, Jovanilson Falero de Freitas, e o presidente da Associação Brasileira de Engenheiros Eletricistas, Olavo Botelho Almeida. 

 

O Grupo de Trabalho Matriz Energética Brasileira para 2050 tem como objetivo estudar os impactos da crise energética brasileira na formação de mão de obra, no desenvolvimento da cadeia produtiva e de novas tecnologias, na manutenção da malha energética.

 

Para o presidente da Associação Brasileira de Fomento às Pequenas Centrais Hidrelétricas (ABRAPCH), Paulo Arbex, o setor elétrico deveria ser uma prioridade para o país. "Hoje temos uma das energias mais caras do mundo, inibindo o investimento e ainda sujeito a apagões". Segundo ele, as hidrelétricas representam o menor custo médio efetivo, da ordem de R$ 95/MWh. No entanto, o segmento sofre com uma "política industrial às avessas", com carga tributária desigual e outras desvantagens. Ao final de sua apresentação, ele afirmou que é preciso construir mais hidrelétricas, gerando mais empregos especializados. 

 

Além da formação do GT, a reunião serviu também como iniciativa de uma parceria da ABRAPCH com os CREAs estaduais, para a realização de palestras, workshops e eventos voltados ao setor de PCHs e CGHs.

 

Confea